Uma oferta que você não pode recusar

Vou te fazer uma oferta irrecusável. O negócio perfeito.

Em cinco dias da semana, você faz o que eu quiser. Em contra partida, você pode fazer o que quiser por dois.

Isso ao longo de onze meses. Depois, você terá um mês pra fazer o que você quiser.

Esse acordo se estende por anos. Depois de uns 40, ou mais, você estará mais velho, se sobreviver. Mesmo que sua juventude já tenha passado, poderá desfrutar do tempo que lhe resta, cuidando dos problemas de saúde que adquirir.

Sim, eu sei que é injusto. Mas é o negócio que milhões de pessoas aceitam todos os dias.

Somos seres muito adaptáveis. E por uma longa era industrial, esse foi não apenas um caminho possível e real, como também um caminho desejável. Nos acostumamos, aceitamos e, é óbvio, reclamamos.

O mundo está mudando profundamente. Observe as instituições, elas não são mais tão confiáveis assim. Lembre-se dos meios de comunicação de massa, eles não são mais as únicas opções. Preste atenção nas carreiras tradicionais, existem muito mais possibilidades agora. Seja sincero, quase todo o trabalho que você faz poderia ser feito em outro horário, em outro lugar. Não onde você bate ponto.

O jogo mudou. Por que seguir as mesmas regras de uma era industrial em decadência?

Se você já aceitou o acordo injusto, não se desespere. Você está diante de uma oportunidade incrível de mudar seu jogo.

É uma opção sua escolher todos os dias o mesmo acordo. E é uma escolha fazer parte do grande grupo que está jogando e vivendo com novas regras.

Pegue aquilo que você sempre quis fazer no fim de semana, nas férias, na aposentadoria. O que você faria se dinheiro não fosse um problema? Aprendi com o Estaleiro Liberdade, tem algo aí.

Experimente. Esteja aberto. Comece pequeno. Aceite a possibilidade de errar. Não alimente o medo. Diga "sim" ao que importa e "não" a todas as outras propostas. Tem mais gente ao seu lado do que você pode imaginar.

Faça o que você faria se todo o tempo fosse seu. Na verdade, ele é. Isso sim é uma oferta irrecusável.