Como transformar o "à distância" em presença?

O Nós.vc, o Estaleiro Liberdade e o LAUNCH! me ensinaram muito sobre o poder da presença. São projetos que partem, até agora, da premissa de que há uma atmosfera única nos encontros presenciais. Algo especial que só acontece no tête-à-tête. No olho-no-olho. Um calor que não pode ser reproduzido online, ainda. Por isso, só acontecem presencialmente.

Até agora.

Eu acredito que é importante “navegar na direção de nossos medos”. Reconheço a importância dos cursos online e quero entender como eu posso contribuir para uma aprendizagem mais distribuída e, ainda assim, com o valor inquestionável do presencial.

Por isso, abro pra você a questão que bate à minha porta, nesse momento. Se você quiser contribuir com ela de alguma forma, adorarei ler seu comentário.

Como transformar o ensino a distância em aprendizado com presença?

Minhas percepções sobre cursos online:

Prós

  • Facilidade de distribuição de informação.
  • Inclui quem está longe.
  • O tempo de aprendizagem é mais flexível.
  • É mais barato.
  • Do ponto de vista do negócio, pode escalar.

Contras

  • Interação restrita à tela de um computador, sem olho no olho.
  • Menos sentidos envolvidos no processo de aprendizagem.
  • Impessoalidade e baixa sensação de grupo.
  • Menor engajamento e continuidade.

Conclusão, até o momento:

  • Online: Adequado pra consumir informação.
  • Presencial: Adequado pra compartilhar e construir algo junto.

Construí uma visão de aprendizagem pautada no misto entre consumir informação e fazer algo com isso. Aprender com a mão na massa. Nos negócios que criei, até agora, escolhi a presença em detrimento da distância. Mas, pra mim, os dois mundos se complementam, são um só.

Farei uma versão presencial do LAUNCH! em São Paulo, daqui a 10 dias, e as inscrições estão abertas. Mas, por outro lado, estou descobrindo como fazer uma versão online, no capricho, de um jeito que:

  • Estimule interações para além da tela do computador.
  • Envolva mais sentidos no processo de aprendizagem.
  • Seja pessoal e dê sensação de grupo.
  • Tenha engajamento e continuidade.

Como vou fazer isso? Ainda não sei. Mas é um desafio que está em mim e que agora compartilho com você.