Autoconfiança

E se eu errar?

Estamos todos com medo de não sermos bons o suficiente. Somos nossos maiores críticos.

Cada ser humano na Terra está enfrentando sua autocrítica.

O que já aprendemos sobre isso?

Como enfrentar o troll interior e seguir em frente?

Os caminhos sobre autoconfiança que tenho encontrado são aprendizados verdes. Em processo de amadurecimento. Espero que sirvam pra gente começar a trocar e fazê-los crescerem.

Lembrar que já passei por isso.
Seja lá o que estou fazendo, tento puxar algum paralelo com algo que já vivi. Se é completamente novo, vale lembrar que já experimentei a sensação de fazer algo completamente novo outras vezes. Sobrevivi. E valeu a pena.

Lembrar por que fazer.
Se há medo, é porque é importante. Há algo a ser aprendido. Se escolhi fazer, tem algum significado pra mim. Lembrar disso resgata o propósito, que geralmente é maior que a desconfiança. Se não é maior, talvez não haja um bom motivo para sofrer por isso.

Reconhecer que não estou sozinho.
É egocêntrico demais acreditar que nossos conflitos são os mais importantes do mundo. Mas é assim que enxergamos nossos problemas. Seja quais forem, outras pessoas já passaram e estão passando por coisas parecidas. Nos abrir, nos fragilizar e nos conectar ajuda, e muito, a lidar com a fala de confiança.

Começar pelo mais fácil.
Porque as coisas são tão difíceis? Por que escolhemos desafios maiores que os que conseguimos lidar. Podemos jogar sempre no limite, o que é extremamente cansativo. Ou, então, podemos aumentar o grau de dificuldade pouco a pouco. Quando começamos pelo mais fácil avançamos com mais fluidez.

Restringir o universo.
Nada é pra todo mundo. Não precisamos agradar a todos. Nem fazer algo que sirva pra todo mundo. Podemos começar com nosso micro universo, onde nos sentimos mais confiantes. Nossos três ou dois amigos mais próximos. Quem está perto dá mais confiança e aceita mais facilmente nossas novas investidas.

Abraçar e aprender com o erro.
Cada erro é uma incrível oportunidade de aprendizado. Quanto mais falhamos, mais maduros ficamos e mais perto do que desejamos estaremos. Falhar é um presente da vida nos dizendo: aprenda, se transforme e siga em frente.

Aceitar que não há o jeito certo.
Não existe fórmula mágica. Não há um jeito de lidar com os problemas. Mas vários. Cada situação é única e existem infinitas possibilidades. Quando estamos conectados ao momento presente, enxergamos com mais clareza como lidar diante do contexto do momento.

Deixar o julgamento de lado.
Por que mesmo precisamos tanto acertar? Podemos, pelo menos temporariamente, não dar atenção ao julgamento e deixar que nossa intuição nos guie.