O problema é seu

Turistas reclamam do lixo que eles mesmos produzem.

- Nao há reciclagem aqui, absurdo.

- A praia tal que é boa, eles sempre estão coletando o lixo.

- Na América do Sul é assim também, eles largam o lixo lá.

Papo vai, papo vem, e a conversa muda de assunto. Ou não.

- E o que você faz na Europa?

- Sou gerente de vendas. Trabalho com o Nero Cafe, Pizza Hut...

Dá vontade de perguntar: “Você se sente mal o ano inteiro vendendo lixo, copos descartáveis e embalagens de pizza ou só reclama do lixo nas férias?”

O problema do lixo é que ele é visto como um problema do outro. Alguém, nunca nós mesmos, que deve catar e reciclar. Achamos que nossa parte é jogar na lixeira e esconder dos nossos olhos o que será enterrado por outra pessoas, em algum outro lugar.

Nossos trabalhos produzem lixo. Nossos estilos de vida produzem lixo. Nossa diversão produz lixo. Nossas decisões de consumo e de carreira também. Literalmente, e metaforicamente, tudo que fazemos produz lixo. Mas lidamos como se fosse um problema seu. E não meu.

Não é só o lixo. O governo, a escola, o trabalho, a comida, deixamos tudo pros outros. Enquanto esperamos por alguém que resolva as coisas por nós, sempre teremos problemas, porque sempre existirá alguém para não atender às nossas expectativas.

Que em 2016, e por toda a vida, a gente se responsabilize o ano inteiro pelas nossas escolhas e assuma nossos problemas.