Como empreender e se sustentar ao mesmo tempo? - PARTE 4/4

Você não tem uma poupança, não está disposto a fazer jornada dupla e nem tem alguém pra te sustentar. Não vai ser fácil. Sinto lhe dizer que a quarta ideia é a mais difícil de todas.

4 . Volte no tempo e seja uma criança empreendedora

Desculpe se te desapontei, mas não há segredo. Para pagar as contas e ter seu tempo de aprendizado, até gerar valor com seu negócio, é preciso queimar uma gordura. Um recurso excedente que está ao seu alcance. Poderia ser uma grana guardada, um salário, o suporte de quem te ama. Ou, ainda, você poderia ter aproveitado o momento em que teve tempo e energia de sobra, sua juventude.

Um novo negócio é como a semente de uma plantinha. Ela ainda não é capaz de produzir a própria energia. Mas guarda em si um pequeno estoque de nutrientes até que consiga fazer fotossíntese. Ela herdou esse excedente. Por outro lado, ainda não consegue gerar frutos. O novo negócio precisa de um tempo de evolução até parar de pé. Enquanto isso, é sustentado por um excedente.

Naturalmente, nós, seres humanos, também temos um tempo em que somos sustentados. Adultos cuidam de crianças até que aprendam a andar com as próprias pernas. O grande problema é que passamos muitos anos da vida nos preparando para fazer provas. Depois, somos ensinados a obedecer alguém. Perdemos muito tempo sem nos responsabilizar pelo nosso próprio caminho. Assim, fica difícil viver a vida, se privando de aprender com ela acontecendo.

Se, quando criança, conversássemos mais sobre dinheiro, aprendêssemos a fazer as coisas e tocássemos nossos próprios pequenos projetos, teríamos muito mais condições para empreender quando adultos. Faríamos melhores escolhas. Teríamos mais autoconfiança. Ganharíamos em técnica e prática. O que acontece é que não aprendemos a voar e caçar quando éramos filhotes de passarinho. Crescemos e continuamos esperando alguém vir nos alimentar.

Conheço alguns exemplos de crianças e adolescentes empreendedores. Não estou falando de trabalho infantil. São projetos escolhidos por eles, para serem executados no tempo deles. Muitas vezes sem pé, nem cabeça. Não importa. O mais valioso é o aprendizado. É o tipo de educação que considero muito mais empolgante que a escola.

Voltar no tempo (ainda) não é possível. Mas podemos oferecer algo diferente aos nossos filhos e netos. Haverá um período na vida em que eles serão sustentados por nós. Se tiverem uma educação empreendedora, talvez não precisem ler estes textos.

Quanto a nós, pobres adultos, só nos resta começar agora. Já que não começamos ontem. No futuro, descobriremos que iniciamos cedo nosso caminho empreendedor. Sempre pode ser cedo. Seremos os velhinhos que começaram a empreender quando eram jovens. Não importa sua idade, você sempre pode ser jovem, se quiser.