Isso é realmente um problema, agora?

"Como conciliar o novo projeto com o emprego?". "Darei conta de mil clientes ao mesmo tempo?"

Antes de me preocupar com qualquer questão, gastar horas trabalhando, eu me pergunto: "isso é realmente um problema, agora?".

Quase nunca é. Gastamos muita energia tentando encontrar soluções para evitar problemas futuros. Acabamos criando problemas maiores: preocupação e trabalho que não gera valor.

Quantas reuniões seriam poupadas se nos dedicássemos somente ao que importa? Quantas regras foram discutidas, criadas e implementadas com o intuito de, apenas, tentar evitar que algo improvável aconteça?

Raramente estamos preocupados em resolver o problema que está acontecendo no momento. Trabalhamos com questões que não existem para que, quando existirem, a gente tenha alguma carta na manga. Quem já trabalhou um pouco na vida sabe. Nem todas as cartas do mundo, em cada uma das mangas do planeta, dão conta de resolver qualquer problema.

Se o novo projeto ainda não atrapalha seu emprego (é mais provável que aconteça o contrário), não há nada a resolver. Por enquanto, você tem tempo livre e está descansado. Quando realmente for um problema, talvez você já esteja mais confortável para diminuir o tempo que gasta com uma atividade ou outra.

Se você não tem mil clientes para atender ao mesmo tempo (na verdade, você tem um), não há com o que se preocupar. Pode ser que nunca exista esse problema. Quando a situação realmente acontecer, você terá aprendido o suficiente para lidar com ela.

Nos pré-ocupamos demais com problemas que não existem, e deixamos de nos ocupar com os problemas reais. Antes de aceitar o próximo trabalho, questione-se: "isso é realmente um problema, agora?".

Se é, pergunte-se de novo, "vale a pena dedicar energia pra resolver?". Se não, parta pra próxima. Temos muito a fazer.