Celebre pequenas conquistas

A Vivi é a louca do post-it (desculpe, Vivi, estou dramatizando pra entreter o leitor).

Tudo que ela pensa vira post-it. Ideias, tarefas, coisas a fazer.

A Vivi forrou seu quarto de papeizinhos na parede. Trezentos e dezessete. Que desesperador.

Aí veio o Tales, grande amigo, e trouxe a tarefa de todas as tarefas.

- Vivi, por que você não toma nota dos seus momentos felizes?

A Vivi achou a ideia boba (não boa). Mas ela confia no Tales mais do que nela mesma. Concordou e fez.

Ela fez!

Todas as pequenas e grandes felicidades da vida agora viram um bilhetinho. Um pequeno lembrete de que, sim, ela faz coisas. Ela tem momentos felizes e é responsável por eles.

"Num dia chato ou quando me sinto triste, o mural é conforto instantâneo. Não porque a tristeza não faça sentido, mas por que vejo que é passageira. Diante das lindezas que já vivi, me dou conta de tudo que ainda vou viver. Se tanto a paz quanto a confusão são transitórias, ao assumir o mural dos momentos felizes na minha vida eu conscientemente escolho lembrar da parte que me faz bem.

Quantos post-its tem nesta parede? Muitos. Mas estes eu não vou contar. Quero mais é que se acumulem às centenas, sem conta."

O que eu aprendi? Celebrar as pequenas conquistas alimenta nossos sonhos. Mais importante do que listar o que fazer é se lembrar: há muita felicidade pra ser lembrada na vida. Elas vão e vem. E isso é maravilhoso.