Por que fazer o que amamos?

Esse negócio de fazer o que a gente ama é realmente importante.

Não é, apenas, um papo coraçãozinho.

Antigamente, eu achava que era por uma questão de conforto. É gostoso trabalhar com o que a gente curte, é claro.

Hoje, eu entendo que é muito mais que isso. É uma questão de vida ou morte.

Se você não tem uma motivação extrema, se não trabalha com algo que realmente te toca, seu empreendimento não vai tocar a mais ninguém. E vai morrer.

Devemos fazer o que amamos não apenas porque é delicioso, mas também porque empreender exige suor.

Se somos loucamente apaixonados pela nossa causa, temos alguma chance de fazer o que deve ser feito e persistir. Se temos tesão, evoluiremos, apesar dos percalços que sempre existirão.

Só vale a pena suar pelo que amamos.