O que é sucesso e o que é fracasso?

Eu era um promissor diretor de arte, em uma importante agência de publicidade.

Era o mais jovem e trabalhava ao lado de pessoas inteligentíssimas, criativas, engraçadas. Ganhava muito mais dinheiro do que tinha ganho até então. E era muito menos do que eu podia ganhar dali em diante. Meu futuro estava desenhado, era só pegar trabalhos ainda mais desafiadores e crescer. Me esforçava e me sentia brilhante. Evoluía a cada dia e era recompensado ano a ano por isso.

Vivia tudo que pode se chamar de sucesso.

E então, eu era um trabalhador infeliz.

Não via mais sentido no que fazia. Reclamava e ouvia reclamações o dia inteiro. Acordava todas as manhãs querendo dormir mais. Segunda-feira era o pior dia. Sexta, o melhor, se tivesse a sorte de não precisar trabalhar no fim-de-semana. Contava os minutos para poder, finalmente, viver como um vegetal, me isentando de tudo e de todos. Os aumentos de salário já não resolviam meu problema. Eu só me enganava acreditando que as coisas iam melhorar. Não era possível que a vida fosse só isso.

Estava preso. Era um fracasso.

Meus dias eram, na verdade, muito parecidos. As pessoas, as mesmas. O trabalho, igual. Nada fora de mim, de fato, mudou.

Mas o meu olhar era diferente. E isso, no fundo, mudou tudo.

Sucesso e fracasso não são parâmetros estanques.

Não são medidos por mais ou menos dinheiro. Nem poder. Nem status. Nem clientes. Nem nada mensurável.

Não há ninguém no mundo capaz de avaliar pelo outro o que é sucesso e o que é fracasso. Só você define o que é e o que não é, pra você.

Por mais que tentassem me convencer de que eu era um profissional de sucesso, eu já não me sentia mais assim. Eu enxergava um enorme vazio. Os meus dias estavam sendo desperdiçados em um escritório. E isso bastou para que eu preferisse estabelecer os meus próprios parâmetros.

Não foi de uma hora pra outra. Nem foi fácil. Doeu durante muito tempo. Pelo menos, não foi mais dolorido do que o próprio emprego.

Enquanto eu estava mergulhando no sucesso, eu não tinha essa visão. Estava tudo bem. Eu estava pronto para aprender. Estava prestes a saltar em um novo e profundo aprendizado. Estava pronto para fracassar. Eu só ainda não sabia disso.

Quando me encontrei imerso no fracasso, eu estava, finalmente, aprendendo. Estava ampliando minha mente e esquentando meu coração. Estava, em tempo real, evoluindo, descobrindo e fracassando. E tudo bem, aprender é maravilhoso.

Sucesso é o estado, passageiro, em que estamos prontos pra aprender.

Fracasso é o estado, passageiro, em que estamos aprendendo.

Aprendi com o Guto Gutierrez.

Sucesso e fracasso são parâmetros seus. Você define o que é e o que não é. Agora.