Saia da Zona de Conforto e dance na Zona de Expansão

Em 2013, estive na KaosPilot, na Dinamarca, uma escola para líderes e empreendedores que estão dispostos a navegar em um mundo turbulento.

Conversei com Siri Nymannm, que se formou na escola e agora trabalha nela.

Ela me ensinou sobre o quão importante é, pra eles, saírem da Zona de Conforto, mas sem se colocarem em problemas que são grandes demais.

Desenhou num papel três circunferências circunscritas.

No miolo, a área mais quentinha, tão conhecida por todos nós. A Zona de Conforto. Se ficamos nela, não aprendemos nada. Afinal, já sabemos o que fazer e só reproduzimos os mesmos comportamentos.

Depois, a Zona de Expansão. Onde os desafios são um pouco maiores e as perspectivas são outras. É onde trabalhamos com pessoas diferentes, fazemos o que nunca fizemos, visitamos o desconhecido e avançamos. É onde exploramos o diferente e descobrimos o novo.

Por fim, a Zona de Perigo, onde o desconforto é tão grande que não há aprendizado, onde não há esperança. Onde travamos e fugimos. É onde a ameaça é real, não apenas desconfortável.

Em geral, reconhecemos que sair da Zona de Conforto é importante. Mas tememos entrar numa Zona de Perigo.

Siri trouxe luz à essa área intermediária, a Zona de Expansão, tão pouco percebida. É nela que mora o verdadeiro e rico aprendizado.

É tocando, sem adentrar, a área perigosa, que descobrimos o invisível, despertamos, nos desenvolvemos e expandimos nossa capacidade.

Para sair da Zona de Conforto, você não precisa ir à Zona de Perigo. Basta dançar pela Zona de Expansão.