Faça mesmo que não esteja inspirado

Hoje vim aqui escrever e nada veio.

Comecei a ler uns blogs, buscar inspiração, referências. Passei quase uma hora lendo, entrando em assuntos profundos, viajando e pirando.

Em pouco tempo, de aba em aba, me afastei completamente do meu propósito inicial: escrever algo que valha a pena.

Ao buscar inspiração encontrei piração. Não veio uma luz dizendo o que eu deveria escrever.

Quando me dei conta, eu simplesmente parei de esperar uma inspiração vir e comecei a rabiscar este texto.

E aqui está. Feito. Mais um aprendizado registrado e compartilhado.

Há um momento em que é preciso parar de pesquisar. Porque a busca não tem fim mesmo. É um processo contínuo, pra vida toda.

O mundo é grande demais e sempre haverá algo não visto, não lido, não aprofundado. Sempre encontraremos alguém fazendo coisas mais interessantes, trabalhos mais bonitos e apresentando pontos de vista que pra nós são inéditos.

Há um momento em que é preciso mudar o estado de espírito, intencionalmente. Parar de consumir e começar a produzir.

A inspiração também nasce quando estamos fazendo, exercendo o que nos propomos fazer. E não somente quando estamos explorando sobre.

Consumir e produzir são ações que exigem jeitos diferentes de pensar. E ambos se complementam para fazermos um bom trabalho. Mas não acontecem ao mesmo tempo. É preciso alternar e fazer, mesmo que sem inspiração.