Liberdade é sobre responsabilidade

- O que eu faço?
- Faça o que você quiser.
- O que eu quiser?!
- Sim.
- Mas… Qualquer coisa?!
- Não qualquer coisa. Faça o que você quiser.

Na escola, na família e no trabalho, passamos a maior parte do tempo seguindo ordens e fazendo o que é pré-definido por outras pessoas.

Evitamos lidar com a nossa condição inerente e natural. Nascemos livres. Ser livre não é mesmo fácil pra quem passa a vida toda preso.

Ser livre parece, a primeira vista, ser irresponsável. Mas não é. É mais irresponsável escolher qualquer coisa, fazer o que não importa, o que outra pessoa mandou, e deixar as consequências pros outros responderem.

É mais fácil culpar alguém, responsabilizar o governo, a crise, o chefe, os pais, os filhos, a vida, do que assumir as próprias broncas. Fazer o que se ama exige a coragem de ser livre. Exige compromisso sério. É muito mais difícil responder pelo seu tempo, seu dinheiro, suas escolhas e suas consequências do que não responder.

Ser livre é desafiador. Por isso, vendemos barato nossa liberdade. Preferimos não ter que lidar com nosso tempo, e assim o entregamos a um empregador. Preferimos não lidar com as nossas dúvidas e entregamos as decisões aos chefes. Preferimos não lidar com a nossa própria e confusa aprendizagem, e por isso nos dividimos entre os que educam e os que são educados. Escolhemos não lidar com nosso dinheiro, e por isso aplicamos nos cofres alheios, ou esperamos que alguém nos dê algum.

Ser livre significa não terceirizar nossas atividades e assumir profundamente nossas escolhas e suas consequências. Esse é o maior exercício de responsabilidade: ser fiel a um compromisso consigo próprio, ser capaz de responder por si e, por isso, ser livre.