Sustentabilidade não é uma escolha

Perguntaram ontem no webinar que participei, organizado pela ACIF Jovem (se quiser ver, tá completo aqui).

“O que acha deste mercado voltado a sustentabilidade e ecológicos, até que ponto vai ser viável?”

A pergunta que eu faria é “até que ponto o mercado de insustentáveis e egológicos será viável?”

Outro jeito de viver, mais sustentável e ecológico, é o único viável.

Não é só o “mercado” que precisa olhar pra isso e fazer funcionar. Somos todos nós, através das nossas escolhas diárias. O mercado somos nós.

Eu não tenho todas as respostas, estou longe disso. A cada dia aprendo mais sobre como viver melhor e impactar o mínimo. Mas me dei conta. Já não temos mais escolha, queridos.

Nos últimos duzentos anos, consumimos um terço dos recursos naturais da Terra. Recursos que demoraram 4,5 bilhões de anos para se formarem. Ou seja, essa destruição toda em 0.0000044% do tempo.

Você tem noção do que isso representa? Nem eu.

Ao meu ver, um estilo de vida sustentável não é uma opção. É uma necessidade atual, emergencial e real pra todos nós.

Precisamos tornar o estilo de vida sustentável mais viável, interessante, eficiente, barato e gostoso para todo mundo. A viabilidade financeira é um dos aspectos. Importantíssimo, é claro. Mas é só um dos vários desafios.

Os novos produtos e serviços que criaremos têm que ser “ecologicamente corretos, socialmente justos e economicamente viáveis”, como manda a cartilha. E mais legais do que esse papo todo.

Ou vamos todos padecer.

Inviável é manter esse sistema produtivo industrial que é irresponsável. Que em nome da viabilidade financeira põe a vida de todo mundo em risco.

Do que adiantará ter contas no azul por conta de atividades que custaram a vida na Terra? Pra que servirá o dinheiro quando não tivermos mais água para beber, plantar, produzir e viver?

Viável é aquilo que é capaz de viver, crescer, se desenvolver. O modelo de produção irresponsável é inviável.

A gente divide os produtos entre sustentáveis e normais. Orgânicos e normais. Ecológicos e normais.

Isso não é normal. Eu sugiro mudar o ponto de vista.

O insustentável que é inviável. O não-orgânico que é o tóxico. O não-ecológico que é anormal.

Sustentabilidade não é uma escolha. Se não formos responsáveis pelo que produzimos e consumimos, vamos todos nos extinguir.