Poder e amor, ao mesmo tempo

“O poder sem amor é imprudente e abusivo. E o amor sem poder é sentimental e anêmico.” - Martin Luther King.
 
Este talvez seja um dos maiores aprendizados que já tive na minha vida.

Quando estava na Schumacher College, uma das mais importantes escolas sobre sustentabilidade do mundo, me deparei com o livro Power and Love. Tem em português.

Devorei em uma noite. Era o que eu estava precisando ler, no momento.

Me parecia uma dicotomia. Ser corajoso e impor as ideias e desejos ou ser compassivo e me submeter aos desejos do outro?

A resposta que me veio é: nem um, nem outro. Os dois, ao mesmo tempo. Não é "ou", é "e". Coragem e compaixão, como numa dança.

Se nos mantemos fiéis exclusivamente ao nosso poder próprio, somos egoístas, agimos de forma irresponsável e coerciva. Ganhamos fazendo o outro perder.

Se vivemos abrindo mão, apenas nos compadecendo pelo outro, sofremos calados e aceitamos uma relação abusiva. Perdemos fazendo o outro ganhar.

Este livro me trouxe outra visão. É preciso integrar ambas as forças.

Ou seja, nem imprudente, nem abusivo. Nem sentimental, nem anêmico. A busca é ser poderoso e corajoso, com amor e compaixão, simultaneamente. É imprescindível ganhar verdadeiramente tanto quanto o outro. Ganha-ganha real.