Precisamos parar de tentar nos adequar

“Quando eu faço um filme, eu sou o público.” - Martin Scorcese.

As coisas mais significativas que já fiz foram feitas porque eu quis. Não por que me mandaram.

"O mercado quer aquilo. Tal coisa é tendência." Me desculpem, mas não me importa.

Uma das maiores fontes de sofrimento é tentar se adequar, se virar pra atender à expectativa dos outros.

Ao passo que uma das maiores fontes de alegria é ser quem a gente é, de forma genuína e livre. E ainda sermos aceitos por isso.

Tem coisa mais fantástica do que pôr no mundo o projeto que a gente gostaria que existisse? Esse tipo de empreendimento tem alma. Dá pra sentir.

Precisamos parar de tentar nos adequar. E passar a fazer o que nos toca. Isso tem valor verdadeiro.

(E se tem muito valor pra você, provavelmente também tem pra algumas pessoas.)