O vício é por conexão

"Os seres humanos são animais que precisam de laços. Precisamos de conexões e de amor. A frase mais sábia do século 20 foi "Apenas se conecte", de E.M. Forster. Mas criamos um ambiente e uma cultura que cortou conexões, ou que oferece apenas um simulacro delas: a internet. O crescimento do vício é sintoma de uma doença mais profunda na maneira como vivemos - constantemente olhando para o próximo objeto brilhante que queremos comprar, em vez dos humanos que nos cercam.” - Johann Hari

Este olhar me impressionou. Me trouxe outra perspectiva sobre o vício.

Não nos viciamos pela química, nem porque somos vagabundos, fracos, sem educação. Nem porque temos acesso às drogas. Somos, todos, viciados em vínculos. E iremos nos viciar na conexão que estiver disponível e trouxer algum alívio.

Seja lá o que a gente esteja fazendo, estamos buscando conexão. Viagens, festas, drogas, bebidas, jogo, arte, esporte, amor, religião, Instagram, trabalho.

Alguns vínculos são realmente profundos, outros são caricaturas dos laços humanos. Um simulacro. Um artifício para imitar a sensação natural e física da conexão.

Não vivemos sem laços. Como o ar, comida, água, abrigo. Vínculos são uma necessidade básica de todos nós. Procuramos por eles incansavelmente.

Tudo que você sabe sobre vício está errado. Tem legendas.