O futuro do trabalho

"Todo mundo freelancer, todo mundo empreendedor, todo mundo microempreendedor, todo mundo microtrabalhador. Os organismos vão nascer e morrer muito rápido. A gente não vai trabalhar numa lógica de escassez, mas numa lógica de abundância. A gente vai ter várias atividades ao mesmo tempo, várias carreiras, vários ciclos de crescimento. Esse vai ser o futuro do trabalho." - Tiago Mattos.

Esses dias estive na Perestroika, em Porto Alegre, para a banca do curso Empreendedorismo Criativo. Encontrei por acaso o Tiago Matos, grande amigo e fundador da escola.

Tiago me mostrou a Aeroli.to e contou sobre sua estrutura super enxuta, ainda mais que a Peres, fruto dos aprendizados que teve com a vida, empreendendo. Foi publicitário, educador, empreendedor, agora é futurista.

Qual a próxima? Não tem como saber. Assim é a vida. E será cada vez mais assim. Isso é típico do momento que estamos vivendo, o fim de uma era industrial, "sólida" e a ascensão de uma era... digital? Pessoalmente, acredito que nem sabemos como será definido, no futuro, o que está acontecendo. Ainda que Bauman diga "líquida".

Neste vídeo, Tiago disserta sobre o que enxerga como o presente e o futuro do trabalho. E também das empresas e dos empregos. Pule para 9:32 para não ouvir os testes da gravação. Ou direto para 14:10 quando a pergunta começa a ser respondida: "qual é o futuro do trabalho?"

Recomendo muito o hangout, você vai descobrir por que é cada vez mais difícil responder à pergunta "o que você faz?". E ainda mais difícil entender as respostas.

E isso é bom, é ótimo. Estamos nos libertando para experimentar nossa essência curiosa, exploradora - não exploratória. Estamos diminuindo custos de transação e intermediários. Estamos tendo a oportunidade de sermos mais autônomos e distribuídos.

E eu acho que vem mais. Muito mais ainda. Qualquer hora trago o que tenho sentido que vem do futuro.