Em busca de gratidão

A vida só sai do automático quando a gente troca de marcha.

No cotidiano que passa batido, não tem gratidão. Parece que ela só vem quando estamos perto de perder algo muito significativo, ou de ganhar algo muito valioso.

Mas eu gostaria mesmo de experimentar uma gratidão incondicional. Talvez seja impossível.

Estou pensando em algumas perguntas pra gente se fazer, pra tentarmos nos conectar com esse sentir, o da gratidão.

Pelo que sou grato?

Quem são as pessoas queridas que já estiveram na minha vida?

O que me mantém seguro agora?

O que tenho aprendido de mais valioso?

Quais foram as experiências de vida que me trouxeram até aqui?

O que meus antepassados precisaram viver para que eu estivesse aqui?

Quão grandes são os sentimentos que já senti?

Quanto prazer os momentos mais felizes me proporcionaram?

O que os momentos mais difíceis já me ensinaram?

Quantas conexões ainda estão por vir?

"Quão grande é o espaço e quão infinito é o tempo?" - Essa é do Felipe Duarte.