Como o LAUNCH! nasceu e o que vai ser dele daqui pra frente

Há dois anos, eu participei da banca final de um dos cursos de empreendedorismo mais desejados do Brasil. O pessoal apresentava seus projetos em cinco minutos, a banca fazia suas considerações e no final anunciava os destaques da turma.

Gosto desse ambiente porque ele é cheio de energia, engajamento e realmente toca as pessoas. Eram sonhos de infância tentando se realizar, possíveis soluções para grandes problemas, ideias revolucionárias que prometem mudar tudo. Só coisa de encher os olhos e o coração.

Mas o que me chamou atenção foi a quantidade enorme de ideias que ficam só no mundo das ideias. E não passam disso.

Algumas pessoas se entregam muito, discursam, argumentam, se emocionam. Mas ação mesmo, quase nada. A maioria dos projetos eram mirabolantes, trabalhosos, caprichados e teóricos.

Quando eu perguntava: “e o que já foi feito?” a resposta vinha gaguejada, enrolada, mas clara, mesmo que não dita: “nada, eu só tenho uma ideia.”

Em geral, as pessoas acreditam que falta dinheiro, tempo, habilidade e planejamento. Não se sentem prontas, capazes, precisam de validações. Quase sempre, externas. Não enxergam, ainda, o potencial que já têm, e preferem olhar para o que ainda não têm.

É muito mais fácil pensar do que fazer. Porque quando a gente fica só na ideia, estamos seguros. Não precisamos enfrentar o mundo real. Não precisamos passar pelo verdadeiro esforço que é começar e continuar. E não precisamos fazer valer a pena.

Essa experiência me deu um click. Talvez estivéssemos pensando demais, argumentando demais, analisando demais e fazendo de menos, aprendendo de menos. Se temos tanta energia para apresentar e defender uma ideia, por que não usamos essa energia para fazer acontecer, de uma vez, sem planejar excessivamente?

A essa altura do campeonato, eu já tinha gravado em mim que quem realmente quer, arruma um jeito, e quem não quer, arruma uma desculpa. Eu já comecei e errei umas tantas vezes e aprendi que sim, sempre dá pra fazer. Sempre tem por onde começar.

Então eu resolvi criar o LAUNCH! para trazer luz àquilo que já temos, e começar com o que conseguimos fazer. Agora. Sem investir fortunas, com as habilidades que já dominamos. Em pouco tempo. Um curso para aprender fazendo.

Comecei experimentando, como eu sempre acho que as coisas deveriam começar. O curso aconteceu três vezes e os resultados foram maravilhosos. As pessoas não saíram dele com os negócios mais sólidos do mundo. Porque este não foi o objetivo.

Mas elas criaram ótimas bases para que os seus projetos significativos realmente pudessem ganhar vida: elas começaram e lançaram. Elas conseguiram produzir algo de valor para entregar e, então, melhorar. Elas aprenderam com o processo para que pudessem fazer mais. Elas enfrentaram seus medos.

Neste ano, resolvi libertar ainda mais o LAUNCH! para que ele possa ajudar mais gente a sair da paralisia. Gravei os conteúdos em vídeo, preparei ferramentas e disponibilizei no sistema “pague quanto quiser”, com o preço mínimo de R$ 30. Cerca de 10 a 100 vezes menor do que programas similares. Um valor baixo, mas que eu acredito que traz um comprometimento e, ao mesmo tempo, ajuda a valorizar meu trabalho.

Por quê? Porque eu quero mais é ver projetos acontecerem, gente fazendo e libertando potencial. Quero também me liberar para fazer outros projetos que me tocam, numa troca justa e equilibrada. E o que eu tenho recebido? Depoimentos agradecidos e valores quase sempre maiores que o mínimo.

Eu sigo aprendendo e experimentando com o LAUNCH! e se você quiser se juntar a este barco, será sempre muito bem-vind@. Agora, ou depois.

Mas eu gosto de lembrar que a gente nunca estará pronto o suficiente. Sempre faltará algo. Tempo, dinheiro, clareza, qualquer coisa. Mas esta é uma boa razão para dançarmos com nossos medos e começarmos agora. É um bom motivo para aprender com as limitações e descobrir mais sobre elas. Se eu puder te sugerir algo, diria: faça. Só assim você se sentirá mais preparad@.

Todas as informações sobre o LAUNCH! estão aqui: www.cursolaunch.com.br

Mas qualquer dúvida é só perguntar pra mim mesmo.