Liberdade ou segurança?

Todos queremos os dois.

Mas quanto mais de um, menos do outro.

Mais liberdade, menos certezas, menos previsibilidade, menos segurança.

Mais segurança, menos abertura, menos surpresas, menos liberdade.

Não transformemos em prisões os nossos portos seguros. Nem em perigo as nossas liberdades.

Esses seriam casos extremos. A maior parte das nossas vidas passamos longe de prisões seguras e liberdades perigosas.

Liberdade e segurança. Se é mesmo preciso abrir mão de uma, em favor de outra, a gente tenha balanço ao longo do tempo, sem tocar as extremidades.

Balanço, não equilíbrio, pois isso significaria congelar a vida, paralisá-la. Ora caindo mais pra um lado, ora caindo mais pro outro.