Se você encontrar uma tarefa, parabéns, ela é tua

"Se você encontrar uma tarefa, parabéns, ela é tua, se você quiser."

Quando começamos meu primeiro empreendimento, o Nós.vc, a gente tinha uma máxima para o trabalho entre nós quatro: ninguém, nunca, deveria demandar ou gerar demanda pro outro.

Todos podiam identificar tarefas a serem feitas. Mas todos eram responsáveis por elas: ou você pega e faz. Ou deixa a tarefa de lado.

Se você pega, é porque se importa e quer que a tarefa seja feita. Se você não sabe como fazer, pode pedir ajuda, descobrir, aprender fazendo. A qualidade será do tamanho do seu desejo.

Se você deixa de lado, é porque a tarefa não é tão importante assim, pra você. Não é essencial, e pode ser abandonada. É um excelente filtro para descobrir qual é a coisa mais significativa a ser feita no momento.

Muita coisa não era feita. E isso é ótimo, porque em geral os projetos fracassam quando há coisas demais a serem feitas.

Por outro lado, o que era feito, era realizado com amor, intensidade e desejo. Ou por necessidade real. Porque eram tarefas escolhidas a dedo pelos fazedores. Ou assumidas diante da emergência verdadeira.

Não delegar elimina a necessidade de criar estratégias de controle. E isso reduz drasticamente a quantidade de trabalho, discussões, desafetos, hierarquia.

O que nós ganhamos? Autonomia. Um trabalho conectado com o que queríamos fazer verdadeiramente e muito menos dor de cabeça. Cada atividade era sensível ao que cada momento pedia.

É claro que este modelo funcionou porque construímos entre nós uma relação mais baseada em confiança do que em controle.

Trabalhar dessa forma nos libertou. Tanto que cada um dos quatro que começou essa história foi explorando outras atividades ainda mais interessantes pra si. Inclusive em outros empreendimentos e universos.

Nós.vc continua vivo, sendo cuidado por outras pessoas. Mas desde 2011 nos foi uma excelente escola, um trampolim para mais liberdade e autonomia.