Pega leve

Chega essa época do ano e lá vem a Simone. 

"Então, é Natal. O que você fez?" 

Desculpe, Simone, não tenho te acompanhado, mas parece que você não tem feito muito além de aparecer a cada doze meses pra cobrar.

Trocar de ano dá uma renovada nas esperanças. Parece que a gente fica um tanto mais receptivo, aberto, tolerante com todo mundo. 

Menos com a gente.

Paradoxalmente, nos cobramos mais. O que tentamos o ano inteiro precisa ser conseguido na reta final. Vem aquela reflexão, a autocrítica.

Esse ano não deu. Mas ano que vem vai ser diferente.

Ganhei um conselho rico depois de ser o estrassado da turma, "pega leve."

Preciso me esforçar pra lembrar, mas é bom demais, vem da filosofia do "de boísmo".

Para todas as tretas, tensões, medos e perigos, pega leve.

Tudo se transforma, seja lá qual for nossa condição agora, ela vai mudar.

É só uma data, mais um dia, outro ano e, na boa, a gente já tem cobranças o suficiente.

Que em 2018 a gente pegue leve. E se não der, tudo bem, em 2019 a gente faz outras resoluções.

Feliz Natal.