Precisamos falar sobre dinheiro

Dinheiro, bufunfa, pratas, faz-me-rir. Precisamos falar mais sobre grana. É crucial conversarmos mais sobre autonomia financeira. Não podemos entrar na onda do “faça o que você ama” sem considerar que as contas precisam ser pagas e a vida precisa ser vivida. Precisamos trocar mais, aprender mais, descobrir como fazer. Não é indelicado falar sobre tutu. Quem inventou isso deve estar ganhando muito às nossas custas. Falar sobre dinheiro nos permite aprender para fazer melhores escolhas.

Tenho acompanhado empreendedores, fazedores e buscadores em todos os estágios. Sejam pessoas em processo de transição que me procuram pra um Help, geralmente saindo de um emprego para iniciar uma jornada empreendedora. Ou empreendedores não-convencionais tentando comunicar seus projetos incomuns, que recebo pelo Hell Yeah. Pra todo mundo, dinheiro é sempre uma questão. Seja travando a evolução, seja criando monstros em nossas cabeças.

Divido contigo algumas ideias que sempre surgem nessas trocas, mais cedo ou mais tarde. Espero que sejam relevantes pra você. Sinta-se a vontade pra adicionar o que achar valioso.

Faça contas

Anote o que entra e, principalmente, o que sai. É importantíssimo ter consciência sobre seu custo de vida. Quanto você gasta para morar, comer, se transportar, se divertir? Quanto mais souber pra onde seu dinheiro vai, mais capacidade terá de fazer cortes ou gastos mais inteligentes. Existem muitos aplicativos que podem ajudar, busque por "finanças pessoais".Se você não se dá bem com números, ou cartão, tente limitar a grana da semana. Saque ela e gaste apenas as notas que tem nas mãos.

Mantenha-se sem dívidas

Se você quer fazer uma mudança profissional, é muito mais difícil bancar a transição devendo. Quando a gente está no negativo, se sente mais pressionado, pensa mais na dívida do que em formas criativas de fazer grana. Devendo, temos dificuldade de experimentar, tememos o erro - péssimo cenário para empreender. Se você tem dívidas para pagar e quer empreender, eu consideraria fortemente pagar os débitos antes de se jogar completamente em uma nova atividade.

Poupe dinheiro para poder viver um tempo sem receber

Mantenha uma poupança, CDB, fundo de investimento, tudo isso, ou que você quiser e se sentir confortável. Faça uma reserva que te dê um respiro. Se você sabe quanto precisa por mês, tenha grana suficiente para viver pelo menos por alguns meses, sem precisar fazer dinheiro. Caso você queira fazer uma mudança significativa, esse dinheiro será fundamental, porque nenhum novo negócio começa fazendo grana. Podem ser necessários muitos meses, anos até chegar lá. Enquanto isso, use o que você acumulou. Escrevi mais sobre isso aqui

Enquanto o que você quer fazer da vida não te paga, faça o que te paga

Sabe o que vale dinheiro? O trabalho que resolve um problema real, que é previsível, que custa menos do que entrega. Por isso, se você está começando algo novo, é improvável que vá fazer de um dia pro outro uma quantia equivalente, por exemplo, a um bom salário. Tudo começa caótico, imprevisível. Ou seja, até que seu novo projeto amadureça, use as habilidades que você já tem e que são reconhecidas no mercado. Faça seu emprego financiar seu próximo projeto. Eu sei que seu emprego pode estar insuportável. Porém, é ele que vai financiar suas experimentações fora do horário comercial. E são essas experimentações que poderão se tornar seu próximo trabalho.

Ganhar mais, ou gastar menos, dá na mesma

A gente se esforça mais para ganhar mais do que para gastar menos. Por que? Não sei. Só sei que a conta é a mesma. Podemos nos esforçar tanto para ganhar R$ 500, como para economizar R$ 500. Cozinhe em casa, vá de ônibus, divirta-se na rua, no parque, no que for de graça na sua cidade. Claro, tudo tem limite. Mas sempre temos custos que nos dão muito pouco e que poderiam se transformar em dinheiro útil.

Diversifique as entradas

Dizem que salário vicia mais que cocaína. Complicado. Quando a gente está acostumado com um emprego, nossa grana vem de um lugar só. Isso é muito mais arriscado do que receber de várias fontes, ainda que quantias menores. Aquela coisa, todos os ovos num cesto só é perigoso. Se você quer sair de um emprego, experimente fazer outras atividades que possam te remunerar. Dê um curso, trabalhe como freelancer, ajude um amigo em um projeto, venda algo que você faz, experimente a sensação de diversificar suas entradas.

Leia e assista pessoas que manjam muito mais do que eu sobre grana

Li há muitos anos o livro Pai Rico, Pai Pobre. Posso dizer que foi muito importante pra mim como introdução à educação financeira. Se você não manja nada, sugiro começar por este pequeno clássico. Lia também os livros do Gustavo Cerbasi, um cara que até hoje produz muito conteúdo de qualidade. Hoje, tenho curtido mais os vídeos da Nath, do Me Poupe e os textos do Eduardo Amuri, pessoas que pensam em dinheiro de uma forma que admiro.

"Não é sobre dinheiro, é sobre você."

Essa frase está, em inglês, num marcador de páginas do livro Projetos Paralelos e o Poder do Tempo Livre, do meu amigo Luciano Braga. É verdade. Todas as questões que projetamos sobre o dinheiro não são sobre os Reais. São sobre nós. Dinheiro guarda muito mais do que só números. Aliás, dinheiro deveria servir para que a gente viva a vida que desejamos. E não para vivermos a vida que não desejamos, apenas para acessá-lo. Seu dinheiro está a serviço do quê? Adoro essa frase, que roubei do mesmo livro:

"Dinheiro é que nem gasolina numa viagem de carro. Você não quer ficar sem combustível na sua viagem, mas você também não está fazendo um tour por postos de gasolina." - Tim O'Reilly.