A arte de deixar de reclamar

Sou um reclamador. Um crítico. Tudo que me incomoda vira reclamação. E isso é péssimo - veja eu reclamando outra vez.

Reclamar não é efetivo. Me faz perder tempo, energia e, principalmente, conexão. Com o outro e comigo mesmo. Quando critico, não estou em mim. Reclamar frustra.

Mas sinto que há duas coisas que podem ser feitas quanto aos incômodos: agir e resolver o problema, ou calar-se e aceitar.

Apenas duas posturas são realmente valiosas. Reclamar não vale a pena.

Se há algo a ser feito, faço. Porque quando faço, estou me colocando positivamente na Terra. O problema é resolvido, a responsabilidade é assumida.

Se é uma questão do outro, não é problema meu. Se é algo que posso ajudar, ótimo. Se é algo que não posso ajudar, talvez possa pedir ajuda.

Se não há algo a ser feito, me calo. Porque quando me calo, deixo ir, aceito o mundo imperfeito, mutável, vivo. O problema deixa de ser um problema.