A mente do principiante

"Se sua mente está vazia, está pronta para qualquer coisa; ela está aberta a tudo. Há muitas possibilidades na mente do principiante, mas poucas na do perito." - Shunryu Suzuki

Sábio não é quem sabe fazer com maestria, mas quem consegue manter por muito tempo o frescor da novidade.

É no mar de possibilidades de quem está começando que mora a vida, a criação e a conexão.

Quem "já sabe" tem pouco a criar, pois tudo que faz é repetir. Ficamos facilmente presos e restritos àquilo que acreditamos que dominamos.

Mihaly Csikszentmihalyi trouxe brilhantemente a combinação entre situação altamente desafiadora e pessoa altamente habilidosa como caminho para atividades tão significativas que nos colocam em estado de fluxo.

Gosto de encarar como a habilidade necessária, nem mais, nem menos. Somente necessária para encarar algo desafiador o suficiente, no momento.

Como um dia já foram nossos primeiros passos enquanto bebês, os primeiros acordes de quem faz música, o primeiro texto de quem escreve.

Podemos cultivar nossas mentes livres do criticar, analisar, tomar partido, processar, do "isso eu já sei", do "tenho que" para curtirmos o momento presente.

Para mentes viciadas e cheias de frágeis "certezas", como a minha, é um trabalhão.

Mas para minha mente de principiante não, tudo pode se tornar curioso, estimulante, desafiador e novo.