Confiança criativa

Estamos sempre em busca de algum tipo de validação e reconhecimento.

Mesmo que secretamente, ou inconscientemente, desejamos sermos ouvidos, aceitos, amados.

Cada projeto, negócio, expressão e arte tem um significado pro seu criador. Que também espera por alguma resposta do mundo.

Em alguns momentos, o reconhecimento vem. Em outros, não vem nada. Em outros, ainda, podem vir as críticas.

Para todos os momentos é necessário termos, em nós, confiança criativa. Aceitar o que vier e continuar criando.

Porque não podemos controlar as reações das pessoas e depositar sobre elas toda a nossa carência natural.

Porque não podemos abdicar da capacidade criativa que nasce conosco. Se você já foi uma criança que brincava, sabe do que estou falando.

Porque não podemos deixar o mundo sem expressarmos nosso potencial.

Quanto mais confiança, mais capacidade de aprender e criar. E depois aprender e criar de novo, é o ciclo virtuoso.

Quanto menos confiança, mais medo e paralisia. E depois mais medo e paralisia. É o ciclo vicioso.

Como ganhamos confiança?

Dando pequenos e consistentes passos em direção de nossos medos. Pouco a pouco, dia após dia. “Transformando medo em familiaridade”, como David Kelley diz no lindo TED abaixo.