"Óbvio pra você, incrível pros outros"

Escrevi centenas de vezes neste blog. Chega uma hora em que todas as ideias já parecem ter sido gastas, só me restam obviedades. Fui me alimentar e encontrei o texto do Derek Sivers, que traduzi abaixo. Até semana que vem.


Qualquer criador de qualquer coisa conhece este sentimento:

Você experimenta o trabalho inovador de alguém. É lindo, brilhante, de tirar o fôlego. Você fica atordoado.

As ideias são inesperadas e surpreendentes, perfeitas.

Você pensa, “Eu nunca teria pensado nisso. Como eles conesguem chegar nisso? Gênios!”

Depois, você conclui, “Minhas ideias são tão óbvias. Eu nunca serei criativo assim.”

Eu sinto isso frequentemente. Livros incríveis, músicas, filmes, ou até conversas incríveis. Admiro como os criadores pensam dessa forma. Sou humilde.

Mas continuo fazendo meu trabalho. Relato meus pequenos contos. Compartilho meu ponto de vista. Nada espetacular. Apenas meus pensamentos ordinários.

Um dia, me mandaram um email dizendo “Eu nunca pensaria assim. Como você chegou nisso? Genial!”

É claro que eu descordei, e expliquei por que não era nada especial.

Depois, percebi algo surpreendentemente profundo:

Todas as ideias parecem óbvias pra quem as têm.

Aposto que até John Coltrane ou Richard Feynman sentiram que tudo o que estavam fazendo ou dizendo era bastante óbvio.

Então, talvez o que é óbvio para mim é incrível para outra pessoa?

Grandes compositores muitas vezes admitem que sua canção mais bem sucedida foi uma que eles achavam que era estúpida, nem valia a pena gravar.

Nós claramente julgamos mal nossas criações. Deveríamos simplesmente lançá-las e deixar o mundo decidir.

Você está segurando algo que parece muito óbvio para compartilhar?