Entregamos porque compartilhamos nossos erros

Felipe Duarte toca o Visual Quest, ajudando as pessoas a compreenderem seus processos criativos através da pintura.

A última etapa é “entregar”.

Não basta observar, se envolver, se dedicar, fazer, criar.

É preciso entregar nossa arte, nossa criação, para alguém, ou alguéns.

Por quê?

Porque, generosamente, somos seres que "compartilhamos nossos erros”, nas palavras dele.

Não poderia concordar mais.

Entregamos como um presente a possibilidade de criarmos uma conexão entre nós através do processo de tentar, criar, se expressar, se desenvolver.

Não como uma intenção vazia, não é legal errar. É desconfortável, parece arriscado, pode ser frustrante. Entregar nossos erros, à primeira vista, parece egoísta e displicente.

Mas como um processo de entrega, conexão, aceitação e evolução. Somos seres que erram. Somos humanos. Estamos aqui, na mesma página, tentando. Gostaria de estar ao meu lado?

A gente doa, generosamente, o que quer que consigamos fazer, nos conectamos através da criação, aceitamos, incluímos o que nascer disso e evoluímos à partir desse erro.

É um erro porque é imperfeito, é um processo torto, nem sempre claro, que a gente não sabe nem onde vai dar. Mas é cheio de verdade.

Aqui está, cheio de erros, em processo. É o que é. Obrigado por aceitar o compartilhamento deste erro.