Comida, água, ar, abrigo e afeto

Semana duríssima com os noticiários sobre massacres e assassinatos movidos por ódio.

Não tá fácil escrever hoje não. Nem tirar algum aprendizado, umas palavras boas que dêem alguma perspectiva.

Fico tentando entender o que não é racional.

Buscandoapressadamente encontrar possibilidades para vivermos um futuro em que a cultura de violência não seja nosso padrão.

Mas o fato é que a gente já perdeu. Como sociedade, falhamos.

Falhamos ao não conseguirmos nos conectar com alguma humanidade que possa existir por trás da monstruosidade.

Falhamos por parte de nós considerar a a morte do outro como única possibilidade para a própria vida, ou pior, a própria morte.

Falhamos ao não conseguirmos distribuir opções incondicionais e abundantes de amor e conexão. Em que todo ser humano possa ser incluído e aceito.

Que todos possam ter a garantia de que não faltará comida, água, ar, abrigo e afeto.


Recomendo a leitura da Psicologia do Massacre, no TAB.