Como ser mais criativo?

O que eu diria pro jovem Larusso do passado, iniciando uma caminhada em busca de mais criatividade na vida, no trabalho e em sua arte?

Colecione referências

É a matéria-prima. Experiências na vida, arte, leituras, repertório. Vivências distintas dão mais chances pra gente criar em cima. Nada é 100% original. Então, o negócio é beber de fontes diversas pra dar aos nossos cérebros um grande baú de possibilidades que ficam só esperando a hora de dar as caras.

Leve tudo como experimentação

E se…? Criatividade é sobre testar. Fazer experimentações pra ver no que dá. Quem experimenta pode até esperar resultados. Mas o mais importante é pagar pra ver. Aceitar a possibilidade de que a hipótese inicial não seja validada. É só um teste, nada é definitivo. Pode ser que fique bom. Pode ser que não, e tudo bem.

Se abra e se conecte

Novos amigos. Novos ambientes. Novas histórias. Cara de pau. Criatividade é sobre juntar coisas que, inicialmente pareciam desconexas. É sobre conectar pontos que, até então, eram entendidos como universos distintos. É sobre se entregar pro novo.

Desenvolva resiliência

O processo é confuso, parece que não vai dar. Mas se mantenha no fluxo, sustente a dúvida e resista ao desejo de resolver logo. A criação precisa de tensão e, pra se livrar da necessidade de controle, é preciso ser flexível, resistir e seguir.

Arrisque e aceite

A paralisia em frente à folha em branco se resolve sujando logo o papel. Criatividade vem com mais “sims” do que “nãos”. A gente aceita os limões que a vida dá e segue em frente. Se criatividade é sobre arriscar, a gente tem que aceitar o que vier desse risco e juntar as peças que vão surgindo.