AmarElo

Fazia tempo que não me aparecia uma peça dessa.

Arte de altíssima qualidade. Que toca, emociona, provoca, proclama e dá ânimo na vida.

Música e poesia que reaquece o imaginário, cria sentido, reesquenta a história e transforma dor em arte.

Fazia tempo que as surradas cores brasileiras estavam institucionalizadas, enlameadas, apropriadas por uma elite que exclui, que ignora, que prega moralismo com a arma na mão.

Pena do verde e amarelo que foi tomado por uma gente que morre de medo da mistura, da diferença, da diversidade, da única certeza que há na vida que é a transformação. Gente patriota que odeia o Brasil.

A arte brasileira estava carente de povo. Carente de se ver. A maioria de nós é marginalizada e dá suas voltas pra fazer acontecer.  Em tempos de epidemias de depressão precidamos de arte que tem sede de vida real, fresca, autêntica.

Agradeço Emicida, Majur e Pabllo Vittar pelo verde da esperança. O sinal já tá pra lá de amarelo e precisamos de muita arte.