O Silêncio dos Homens

Essa semana saiu O Silêncio dos Homens. Documentário essencial a todos nós para jogarmos luz nessa triste ironia.

Homens têm muita voz, toda a voz. E, ainda assim, raríssimas vezes falam com o coração.

Se você está na Terra, já sacou que homens falam a todo instante. São as falas mais presentes na política, nas lideranças, na mesa do jantar.

Apesar disso, nossas vozes não falam tudo. Na verdade, não falam nada. Nos escondemos, não nos vulnerabilizamos. Estamos sempre mantendo uma casca dura, viril e fictícia que, supostamente, nos protege.

A verdade é que somos analfabetos emocionais. Não sabemos falar sobre sentimentos. Não sabemos demonstrar amor.

Nossa inabilidade muitas vezes é herdada dos nossos pais ausentes ou incapazes de manifestar afeto. Eles que, quando tiveram pais, foram educados com base na porrada.

Nossa inabilidade é alimentada por nossos pares machistas, nossa falta de coragem e de boas referências.

Sem recursos, homens usam a violência como linguagem. Violentam, matam e são mortos por isso.

A você que é homem, fica o convite para que veja o filme e encontre seus pares para conversas francas, sensíveis, com escuta profunda e presença.

E pra você que não é homem, minhas sinceras desculpas pela masculinidade tóxica que machuca e mata a todos nós.