Fazendo retrospectivas no trabalho

Toda semana, na Seasoned, a gente faz uma retrospectiva do que aconteceu nos últimos dias.

É um momento de uns 30 a 60 minutos pra gente refletir e compartilhar o que não gostamos e o que gostamos.

Simples e poderoso assim.

Nos reunimos virtualmente, tentamos nos lembrar dos últimos acontecimentos referentes a um projeto ou trabalho e aí a coisa começa.

Abrimos um documento compartilhado e, cada um, abre seu próprio bloco de notas individual.

Por três minutos, em silêncio, cada um escreve suas respostas mais honestas sobre: “O que eu não gostei?”

Vale qualquer coisa. Não ter feito um bom trabalho, um mal entendido que rolou, um atraso, um dia em que fiquei doente. Toda reclamação merece ser escutada.

Ao fim dos três minutos, cada um traz, ponto a ponto, o que não gostou para todo o grupo. As queixas se acumulam no documento compartilhado.

Todos os demais escutam e lêem. E, se for o caso, endossam, aumentam o coro sobre um ponto não gostado.

Esta é a hora de lavar a roupa suja. Não buscamos soluções, não nos justificamos. Apenas abrimos espaço para que os erros sejam vistos, os incomodos ganhem luz e os sentimentos negativos sejam expurgados.

Quando todos trouxeram tudo que não gostaram, é hora de frisar o que gostamos.

Em silêncio, por três minutos, cada um escreve individualmente o que gostou.

É muito importante escrever. É uma oportunidade para organizar as ideias e, além de tudo, deixa um registro para a gente recorrer depois.

O que gostamos? Vale qualquer coisa, um elogio pra alguém da equipe, um aprendizado adquirido, uma entrega caprichada, um emoji bem usado.

Ao fim do processo, listamos as ações concretas, específicas e simples que podem ser feitas para contemplar os "não gostei" e os “gostei".

Retrospectivas são um investimento poderoso. Uma hora riquíssima para não deixar passar os incômodos, registrar processos e aprendizados, e evoluir em grupo.